UEM pode extinguir determinados cursos

UEM gradua 524 estudante
Fonte: Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior

A UNIVERSIDADE Eduardo Mondlane (UEM) está em processo de avaliação dos cursos ministrados nesta instituição, ação que pode conduzir à extinção de uns e descontinuação de outros, em função da recomendação da equipa de qualificação.

A informação foi partilhada pelo diretor pedagógico deste estabelecimento ensino superior, Elias Manja-te, à margem do IX Seminário Pedagógico que decorre desde ontem até sexta-feira, na cidade de Maputo. Manjate explicou que, no âmbito do aprimoramento do currículo, a universidade concede espaço às unidades académicas para serem elas a melhorar os cursos, sob pena de eles serem descontinuados ou extintos.

“Como sabeis, estamos num processo de revisão curricular e a descontinuidade ou não de um curso é um processo normal. Tudo depende da avaliação que está a ser feita”, disse o diretor pedagógico. Manjate explicou que a avaliação dos cursos é prática normal na instituição e ocorre a cada três anos.

“A avaliação é feita na unidade académica e é um processo contínuo, com uma dinâmica própria da universidade”, disse. Manjate não adiantou, contudo, as áreas de formação que poderão ser abrangidas por esta medida.

 “Neste momento não podemos avançar que cursos podem ser reformados, pois ainda estamos aerificar a pertinência de cada um”, disse, remetendo os detalhes sobre o assunto para os próximos dias. Refira-se que o reitor da UEM, Manuel Guilherme Júnior, havia realçado recentemente, em Maputo, a pretensão da universidade de descontinuar ou extinguir alguns cursos, sobretudo os lecionados à distância e no período pós-laboral.

Fonte: Jornal Noticias