Membro da RENAMO morto em confrontos com polícia

Membro da RENAMO morto em confrontos com polícia
Renamo Nacala-Porto

O Ministro do Interior de Moçambique, Pascoal Ronda, informou que um membro do partido de oposição RENAMO faleceu e dois estão hospitalizados após escaramuças ocorridas em uma manifestação contra os resultados das eleições autárquicas. Os confrontos aconteceram na quinta-feira (16.11) no município de Angoche, província de Nampula, norte do país.

Ronda destacou que a polícia disparou balas reais para o ar, visando conter membros da RENAMO que, armados com catanas, paus e pedras, ameaçavam uma esquadra em Angoche. A situação se agravou quando manifestantes tentaram depositar uma urna coberta com a bandeira da FRELIMO na sede da administração do distrito, como forma de protesto contra os resultados eleitorais.

O delegado distrital da RENAMO mobilizou simpatizantes para transportarem um caixão coberto pela bandeira da FRELIMO, buscando expressar descontentamento com os resultados. A polícia desaconselhou a ação, mas os manifestantes optaram pela violência, lançando pedras e paus contra as autoridades.

Cinco pessoas foram detidas, e o Ministério Público está investigando os incidentes. A polícia moçambicana acusou simpatizantes da RENAMO de tentarem invadir o edifício do governo distrital, justificando a intervenção policial para garantir a ordem.

Desde as eleições autárquicas de 11 de outubro, têm ocorrido manifestações em várias cidades moçambicanas, contestando os resultados anunciados pela Comissão Nacional de Eleições (CNE). A FRELIMO foi declarada vencedora em 64 das 65 autarquias do país, resultando em protestos e alegações de fraude por parte da oposição.

A RENAMO, que nas eleições anteriores liderava em oito das 53 autarquias, reclama vitória nas maiores cidades, com base em atas e editais originais das assembleias de voto. O partido recorreu para o Conselho Constitucional, enquanto manifestações de contestação aos resultados ocorrem regularmente nas ruas.

FONTE: LUSA DW