Utentes exigem terminal condigno no Xipamanine

OS utentes do terminal de transportes do Xipamanine, no município de Maputo, exigem a colocação de alpendres no local que, desde a sua entrada em funcionamento, em Janeiro último, está a céu aberto.

O terminal deveria ter sido melhor acondicionado antes da sua abertura, para permitir conforto e comodidade aos utentes que continuam expostos ao sol e à chuva.

Marta António, na fila de espera com bebé ao colo, debaixo de um calor intenso, disse sentir-se mal com a actual situação e pediu a intervenção do município. “Este local não oferece protecção. Queimamos com o sol e em dias de chuva também não escapamos, para além de não dispor de assentos”, lamentou.

Aida Macie, outra utente, disse que como cidadã que cumpre com os seus deveres, através do pagamento do imposto, deve usufruir dos benefícios. “É lamentável, principalmente para os idosos, mulheres grávidas ou com bebés e portadores de deficiência física”, referiu.

Andrisse Tembe disse, por seu turno, que a situação se agrava devido ao longo tempo de espera para aceder ao transporte, visto que se o processo fosse célere, o sofrimento seria minimizado, mas acontece que a intransitabilidade da via favorece o encurtamento de rotas.

Norlito Zacarias, chefe da comissão do mercado anexo de Xipamanine, disse  que o município tem um projecto que visa a melhoria das condições, não só no terminal, como também do acesso, uma vez que não garante boas condições de transitabilidade, sobretudo quando chove. “Ainda este ano haverá melhorias quer do acesso quer do terminal”, esclareceu.