SERNIC desconhece de casos de sequestro de crianças

SERNIC desconhece de casos de sequestro de crianças
Jornal noticias

O SERVIÇO Nacional de Investigação Criminal (SERNIC), a nível da cidade de Maputo, não tem registo de casos de rapto e tráfico de mulheres crianças, difundidos principalmente nas redes sociais. Tal deve-se à falta de registo de denúncias de familiares ou outras pessoas que tenham tomado conhecimento dos factos.

 Segundo o porta-voz desta instituição, Hilário Lole, as autoridades têm acompanhado os casos com preocupação e exorta a sociedade a denunciar esses atos maléficos às unidades policiais mais próximas.

“É a partir daqui que se pode iniciar diligências para o esclarecimento destes assuntos e responsabilização dos possíveis autores criminais”, disse Apelou, igualmente, a não divulgação dos contactos telefónicos nas redes sociais, uma vez que pode propiciar ao aproveitamento por parte de indivíduos de mafé, que se valem do desespero das famílias para exigir valores monetários na promessa de restituir a liberdade do seu entrequerido. “O SERNIC e outras forças policiais estão atentas a estas tentativas de extorsão.

Qualquer indivíduo que usar os canais de comunicação para se aproveitar das famílias, assim como divulgar informações que desestabilizem ou criem insegurança no bairro será responsabilizado”, referiu