Museus mais visitados do mundo distantes da era pre-Covid-19

Museus mais visitados do mundo distantes da era pre-Covid-19

O Museu do Louvre, em Paris, que habitualmente lidera a lista dos 100 museus mais visitados do mundo, voltou a marcar essa posição, com cerca de 7,7 milhões de visitantes em 2022, mas ainda um quinto menos do que em 2019, ano de referência em prépandemia.Com um aumento de 173 por cento face a 2021, o Louvre continua com menos 20 por cento de entradas comparando com 2019, indicam o estudo que a publicação internacional realiza anualmente.

Da lusofonia, o Museu Coleção Berardo, em Lisboa, cuja designação foi alterada no início deste ano para Museu de Arte Contemporânea Centro Cultural de Belém, é o espaço museológico português que figura na lista dos 100 mais visitados, tendo alcançado a 96.ª posição, com 617.684 entradas, mais 116 por cento que em 2021, mas ainda 42 por cento abaixo de 2019.

Do Brasil, apenas o Centro Cultural Banco do Brasil, no Rio de Janeiro, conseguiu entrar na lista, em 33.º lugar, com 1.364.208 visitantes. Em situação idêntica esteve o Museu Nacional do Prado, em Madrid, Espanha, que conseguiu alcançar a 13.ª posição da lista, com 2.456.724 entradas, Museus mais visitados do mundo distantes da era pré Covid19 numa subida de 109 por cento, mas a registar uma quebra de 30 por cento comparando com o último ano antes da pandemia. Em segundo lugar na lista dos 100 mais visitados ficaram os Museus do Vaticano, em Itália, com 5.080.866, e o terceiro e quatro lugares couberam a museus em Londres, no Reino Unido, segundo o mesmo estudo.

O British Museu contabilizou 4.097.253 visitas, mais 209 por cento do que 2021, mas menos 34 por do que em 2019, e logo a seguir, a Tate Modern, com 3.883.160, num ganho de 236 por cento em relação a 2021, mas ainda com menos 36% no ano antes do surgimento do Covid19.

A recuperação mundial desigual, sublinha o artigo do The Art Newspaper: em quinto lugar surge o Museu Nacional da Coreia, em Seul, visitado O Museu do Louvre, em Paris, que habitualmente lidera a lista dos 100 museus mais visitados do mundo por 3.411.381 pessoas em 2022, num aumento de 170 por cento face ao ano anterior e, excecionalmente, na lista, com dois por cento de aumento em relação a 2019.

Outras exceções – 17 conhecidas entre uma centena são o Museu Nacional Russo, em São Petersburgo, com 2.651.688 entradas, mais 17 porcento que em 2021 e mais 11 por cento comparando com 2019, ou o Museu de Arte Moderna de Nova Iorque, nos Estados unidos, que atraiu 2.190.440 visitantes em 2022, mais 89 por cento que em 2021, e já mais 10 por cento do que em 2019.

Na China, devido à política muito restritiva para lidar com a pandemia, o impacto negativo nas visitas dos museus do país foi elevado. Uma exceção em território chinês foi o novo Museu M+, em Hong Kong, inaugurado em Novembro de 2021, e encerrado durante quatro meses em 2022, que conseguiu atrair mais de dois milhões de visitantes, entrando nos 20 museus mais visitados do mundo. (Lusa)