Município procura mudar face das escolas

AS autoridades municipais estão à procura de parceiros para garantir a provisão de água, saneamento e higiene, bem como para construir e reabilitar sanitários em alguns estabelecimentos de ensino, principalmente em KaMubukwana, KaTembe e KaNyaka.

Neste quadro, estiveram reunidos ontem na capital vários actores da educação primária em Fórum dos Parceiros do Ensino Primário, para trocar experiências e aprimorar as intervenções. Em parceria com a Secretaria de Estado e outras organizações, o município tem estado a investir na melhoria do ensino e aprendizagem em todas as 101 escolas da cidade.

“Entretanto, há ainda muito que fazer, sobretudo no que concerne à provisão de água, saneamento e higiene”, disse Edmundo Ribeiro, vereador de Educação e Desporto no Conselho Municipal de Maputo. Além das intervenções no abastecimento de água, saneamento e higiene, o município está à procura de fundos para reabilitar a Escola Primária Completa (EPC) Unidade 24, no bairro de Maxaquene C.

A infra-estrutura será demolida para evitar que o local continue a ser usado como esconderijo de malfeitores e consumidores de drogas, que criam insegurança na comunidade. Trata-se de um estabelecimento de ensino localizado numa área com elevado nível freático, razão que ditou o seu encerramento em 2017 e a transferência dos alunos para outros estabelecimentos vizinhos.

Além da ruína, utilizada como covil de criminosos, o capim alto no pátio concorre para a proliferação de mosquitos, causadores da malária. “Há um projecto de reconstrução da escola. Entretanto, com a eclosão da Covid-19, os fundos que estavam destinados à obra foram desviados para acções de prevenção da doença”, referiu Ribeiro, sem avançar o custo da empreitada.

O Fórum dos Parceiros do Ensino Primário contou com a presença de representantes do sector da Educação, Fundo de Investimento e Património do Abastecimento de Água, UNICEF, CTA, entre outros.