Botswana pondera usar Aeroporto Filipe Nyusi

O BOTSWANA está a avaliar a possibilidades de estabelecer voos directos entre a capital deste país, Gaborone, e o distrito de Chongoene, a escassos quilómetros da cidade de Xai- -Xai, usando para o efeito o Aeroporto Filipe Jacinto Nyusi.

A ideia é abrir espaço para a exploração de oportunidades de negócios entre empresários dos dois países. Phandu Chaka Skelemani, presidente da Assembleia Nacional da República do Botswana, que visitou o aeroporto, mostrou-se maravilhado com empreendimento e considera que o mesmo pode facilitar a ligação aérea directa entre os dois países sem a tradicional escala na vizinha África do Sul. “Podemos realizar viagens de negócios sem passar por Joanesburgo, na África do Sul, economizando o tempo de viagem”, disse.

O parlamentar acrescentou que o Aeroporto Filipe Nyusitem todas as condições necessárias para a sua exploração e através da cooperação entre os dois países pode-se potenciar esta infra-estrutura de grandeza internacional. Segundo ele, neste momento, os dois países estão a avaliar o potencial existente e outros programas que podem ser desenvolvidos em paralelo.

O secretário de Estado em Gaza, Amosse Macamo, também revelou que a província está a trabalhar para tornar o Aeroporto Filipe Jacinto Nyusi num ponto de atracção de investimentos para a província“Estamos a divulgar o potencial do nosso aeroporto. Já fizemos isso com a África do Sul e agora é a vez do Botswana”, disse.

Um outro sector com potencial para a cooperação é a agro-pecuária, visto que tanto o Botswana como a província de Gaza são potenciais produtores de gado bovino.

“Existem outras áreas de interesse em que podemos cooperar, sobretudo no turismo e exploração de diamantes, área que interessa a província de Gaza, tendo em conta a recente descoberta deste recurso no distrito de Massagena”, disse. Inaugurado a 29 de Novembro de 2021, o aeroporto foi construído com o objectivo de harmonizar e impulsionar o desenvolvimento acelerado da indústria, turismo e agricultura da província de Gaza. O mesmo está preparado para receber 220mil passageiros por ano.