MTC procura solução para falhas no exame de condução

MTC procura solução para falhas no exame de condução

O MINISTÉRIO dos Transportes e Comunicações (MTC) está à procura de uma solução para as recorrentes falhas na marcação dos exames para a obtenção de carta de condução, com a inclusão das escolas do ramo na gestão do processo.

A informação foi prestada há dias na província de Maputo pelo vice-ministro dos Transportes e Comunicações, Amilton Alissone. Segundo o governante, as escolas de condução passaram a ter responsabilidade na marcação dos exames dos candidatos a automobilistas, facto que contribuirá para a redução do número de processos pendentes no Instituto Nacional de Transportes Rodoviários (INATRO).

Alissone assumiu a questão da ineficiência do sistema, mas queixou-se da não canalização dos processos a tempo às escolas de condução, por parte dos alunos. “Naturalmente que a parte do INATRO eventualmente tivesse maior peso nesta responsabilidade. Ainda assim, o mais importante é que tenha sido encontrada a solução e estamos num processo de descentralização’’, explicou.

Assegurou que a gestão descentralizada já abrange as províncias de Maputo, Gaza, Inhambane, Sofala, Nampula e a capital do país, havendo equipas espalhadas a nível nacional a trabalharem no processo. O Executivo acredita que até ao fim do terceiro trimestre o processo esteja implementado na íntegra e os serviços possam fluir normalmente. De acordo com a sua explicação, a descentralização permite que as escolas tenham autonomia. Com base neste modelo, o INATRO na província de Maputo, por exemplo, reduziu o número de processos pendentes de 3.500 para 1.500, sendo que a perspetiva é reduzir ainda mais nos próximos três meses.

O governante manifestou satisfação com a digitalização do INATRO que, segundo referiu, tem mostrado melhorias na gestão das atividades que antes eram feitas manualmente. Relativamente à morosidade, disse compreender a situação mas avançou que o mais importante é focar nas conquistas alcançada, assegurando que o problema vai se resolver com o tempo.

 Fonte: Jornal Noticias