Moçambique e Índia reforçam cooperação

Moçambique e Índia reforçam cooperação
Jornal Noticias

As relações diplomáticas entre Moçambique e Índia ficam cada vez mais reforçadas com a visita do ministro dos Negócios Estrangeiros daquele país asiático, Subrahmnyam Jaishankar, que veio numa missão de passar em revista a cooperação bilateral. A deslocação de três dias do diplomata indiano, que iniciou na quinta-feira, tinha também como objetivo preparar a possível vinda a Moçambique do primeiro-ministro daquele país, Narendra Modi.

 Outro propósito da visita que hoje termina, é garantir o apoio formal de Moçambique à candidatura da Índia a membro não permanente do Conselho de Segurança das Nações Unidas no período 20282030.

 No primeiro dia, o diplomata indiano foi recebido em audiência de cortesia pela Presidente da Assembleia da República, Esperança Bias, e ontem participou na V sessão mista entre os dois países. No encontro que teve lugar nas instalações do Ministério dos Negócios Estrangeiros e Cooperação, foram assinadas minutas que contêm ações concretas a serem realizadas nos vários domínios para alavancar a cooperação nas áreas política, económica, comercial e social.

A Ministra dos Negócios Estrangeiros e Cooperação, Verónica Macamo, disse na abertura da V sessão mista, que o maior desafio reside na implementação dos programas e projetos acordados para espevitar o crescimento económico dos dois povos. Sublinhou que as catas não devem ser mais um instrumento rico de intenções sem implementação, mas sim, um guião que deve impulsionar o processo de concretização com ganhos desejados.

Disse ainda que as duas delegações reuniram para fazer o balanço do trabalho já realizado e perspetivar as ações de cooperação bilateral para os próximos anos. “Neste exercício, vamos realçar os resultados positivos da cooperação, identificando eventuais novos regulamentos e traçar outras medidas de resolução para garantir a implementação efetiva das ações que serão acordadas para fortalecer as relações de amizade entre os dois países”, anotou. Recordou que, em Janeiro, Moçambique iniciou o seu mandato de membro não permanente das Nações Unidas por um período de dois anos, o que confere ao país responsabilidades acrescidas nesta Acão.

“Continuamos focados nos objetivos traçados e as metas que nos propusemos a alcançar mas, para isso, contamos com o apoio da Índia”, sublinhou. Por seu turno, o dirigente indiano citou investimentos do seu país em Moçambique, na ordem de sete biliões de dólares, principalmente no sector de energia.