Massangulo garante plena cobertura de agua potável

Massangulo garante plena cobertura de agua potável
Jornal Noticias

CERCA de 14 dos 16 mil habitantes da vila de Massangulo, sede distrital de Ngaúma, vão passar a consumir água potável de qualidade, a partir de Setembro próximo, com a previsão da conclusão da construção de um novo sistema de abastecimento deste recurso.

O Governo Provincial, em parceria com a Agência Japonesa de Cooperação Internacional (JICA), mobilizou 57 milhões de meticais para custear as obras em curso desde Abril último.

Gabriel Comacoma, diretor do Serviço Distrital de Infraestruturas e Planeamento em Ngaúma, indicou que o projeto contempla a construção de uma estação de captação a cerca de 129 metros do Monte Cruz, próximo da vila de Massangulo e uma conduta adutora até a estação de sedimentação e tratamento de água.

 Enquanto isso, na vila de Massangulo, decorrem trabalhos de implantação de uma rede de distribuição com uma extensão de 27 quilómetros. Comacoma garantiu que o projeto, que conta com a acessória técnica da JICA, vai garantir o abastecimento deste recurso, em condições seguras, a cerca de 14 dos 16 mil habitantes de Massangulo.

A questão do acesso à água potável em Massangulo estará ultrapassada, a partir de Setembro próximo, período previsto para o término da Massangulo garante plena cobertura de água potável empreitada que está a contribuir para minorar as dificuldades financeiras e sociais de 64 jovens trabalhadores envolvidos na empreitada”, disse

.

O volume de produção da estação de tratamento é de cerca de 140 mil litros por dia, considerado suficiente para fazer ligações domiciliárias nas instituições públicas, sobretudo dos sectores de Saúde e Educação, para assegurar melhores condições de higiene e limpeza e a prevenção de doenças endémicas, em particular das diarreias.

O sistema de captação está ser construído numa área que requer precaução, na proteção da vegetação natural ali existente que contribui para conservação da humidade. Com efeito, Chichi Yokogi, chefe de equipa do projeto na JICA, apelou à população de Massangulo para evitar cortar estacas e lenha, usada como combustível lenhoso, privilegiando o plantio de mudas de diversas espécies florestais no local, visando preservar o ecossistema fundamental para a retenção da água.

Confirmou que será instalado um sistema de ponta para o controlo do consumo de água nas ligações domiciliárias, o que poderá reduzir conflitos entre os consumidores e a entidade privada a quem será delegada a gestão do sistema.

A vila de Massangulo, que acomoda a Missão da Nossa Senhora da Consolata, envolvida na educação geral e técnico-profissional, localiza-se junto à Estrada Nacional Número 13 (N13) que liga as cidades de Lichinga e Nampula.

Fonte: Jornal Noticias