Maputo quer reduzir acidentes

CENTO e setenta e seis pessoas morreram ano passado na província de Maputo devido aos acidentes de viação, número superior comparativamente a igual período do ano anterior, em que houve registo de 107 óbitos.
A informação foi revelada recentemente pelas autoridades locais, no lançamento do projecto “Zero Atropelamento de Peões”, orçado em 130 mil dólares (8,3 milhões de meticais), visando reduzir o derramamento de sangue nas estradas dos municípios da Matola e Boane.

Alexandre Nhampossa, presidente da Associação Moçambicana para Vítimas de Insegurança Rodoviária (AMVIRO), referiu que foram identificados, através desta iniciativa, alguns pontos críticos, nos quais serão escalados alguns facilitadores de trânsito para educação cívica.
“Estamos a falar de lugares que registam atropelamentos recorrentes, como as estradas da Mozal, Mahlampsene, rua do hospital provincial, entre outros”, apontou.

Júlio Parruque, governador da província de Maputo, exortou os automobilistas a respeitarem os peões, principalmente quando estiverem na passadeira, como forma de reduzir mortes causadas por atropelamentos.
Indicou que a sensibilização para o cumprimento do Código da Estrada é importante nesta altura do ano em que há muita agitação nas estradas.

Jacinto Loureiro, presidente do Conselho Municipal de Boane, também mostrou preocupação com os acidentes de viação que assolam a autarquia, apelando a uma condução prudente nas festas do Natal e transição do ano.