Há mais partos institucionais em Tete

econhecido papel da parteira em Tete

CERCA de 32 800 mulheres deram à luz nas unidades sanitárias da província de Tete nos primeiros três meses deste ano, representando aumento de partos institucionais de 10 por cento em comparação com igual período de 2021, em que foram registados perto de 29 700.
Os dados foram revelados pela esposa do governador da província de Tete, Célia Viola, que falava, quarta-feira, na comemoração do Dia Internacional da Parteira, que este ano teve como lema “Parteiras, 100 anos de progresso”.
“São elas que recebem a gestante na maternidade em trabalho de parto e jogam papel muito importante de salvar a vida da mulher e da criança.
A parteira garante parto seguro”, reconheceu.

Para Célia Viola, investir na parteira é apostar na melhoria da qualidade dos serviços de saúde da mulher, criança e reduzir a taxa de mortalidade materno-infantil e incidência de doenças.
Admitiu que a mortalidade materna no país ainda constitui preocupação, lembrando que uma em cada quatro mortes entre mulheres dos 15 e 19 anos é atribuída à maternidade.
A celebração do Dia Internacional da Parteira, 5 de Maio, coincide com o Dia Mundial da Higiene das Mãos, criado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), pelo que Célia Viola exortou as parteira