SEGUNDO FEWS NET ”Insegurança alimentar pode agravar-se no país”

Colheitas como estas são cada vez mais raras

A REDE de Sistemas de Aviso Prévio contra a Fome (FEWS NET) alerta para a insegurança alimentar aguda em todo o país devido ao impacto de múltiplos desastres naturais e dos ataques terroristas em Cabo Delgado.
Na sua última actualização da segurança alimentar no país, a FEWS NET sublinha que os maiores choques da época agrícola 2021/2022 são os danos causados por ventos ciclónicos e inundaçõesprovocadas pelas tempestades tropicais Ana, Dumako e Gombe.

Estes eventos climáticos afectaram mais de 200 mil hectares de terras agrícolas nas províncias de Nampula, Zambézia, Tete e partes das províncias do Niassa, Cabo Delgado, Manica e Sofala.
Acrescenta que as fortes chuvas também causaram inundações nos rios Maputo, Incomáti e Umbelúzi, destruindo cerca de 11.500 hectares de terras agrícolas na província de Maputo.
Actualmente, algumas partes de Cabo Delgado enfrentam crise de insegurança alimentar devido às acções de grupos terroristas que desde 2017 deslocaram mais de 800 mil pessoas.
Embora as Forças de Defesa e Segurança moçambicanas, apoiadas pelo contingente militar ruandês e soldados da SAMIM (Missão Militar da SADC em Moçambique), estejam a registar avanços no combate ao terrorismo, a FEWS NET observa que a crise alimentar persiste devido à existência ainda de focos de alguma insegurança.

A FEWS NET adverte que a insegurança alimentar deverá crescer em todo o país entre Junho e Setembro em partes da província de Nampula e grande parte das províncias de Inhambane e Gaza no sul do país.
“Projecta-se que a produção agrícola nacional seja inferior à do ano passado devido à redução do rendimento e perda de colheitas em resultado dos múltiplos choques”, adverte.
Em particular, é provável que a colheita seja significativamente abaixo da média nas províncias de Maputo, Gaza e Inhambane, e na região sul de Manica, Sofala e Tete.
Contudo, segundo a rede, existe alguma esperança de que, para alguns, as coisas possam melhorar nas zonas afectadas pelas cheias e as zonas baixas com potencial para uma boa produção hortícola e para as culturas de segunda época.
Acrescenta que “a ocorrência de precipitação moderada em Abril é susceptível de fornecer a tão necessária humidade residual adicional para a segunda estação agrícola, particularmente nas áreas afectadas pela seca”.

A FEWS NET adverte para um efeito em cadeia do conflito na Ucrânia, desencadeando o aumento dos preços dos combustíveis, com impacto directo e indirecto no preço dos produtos alimentares e não alimentares.
A FEWS NET é uma rede financiada pela Agência Norte-americana para o Desenvolvimento Internacional (USAID) que trabalha com parceiros internacionais, nacionais e regionais para fornecer aviso prévio e informação sobre a vulnerabilidade em questões de segurança alimentar. (AIM)