Gás veicular vai minimizar subida do preço de combustíveis

Há cada vez mais viaturas que usam o gás natural no país

A IMPORTAÇÃO de combustíveis líquidos poderá reduzir, nos próximos tempos, com a previsibilidade de uso maciço do gás natural comprimido em viaturas que circulam no país. A ideia foi lançada ontem na cidade de Inhambane pelo Ministro dos Recursos Minerais e Energia, Carlos Zacarias, no acto do lançamento do Fundo para o Desenvolvimento e Expansão do Gás Natural Veicular.

É também neste contexto que a empresa petroquímica sul-africana Sasol, que explora e comercializa o gás natural de Inhambane, anunciou o desembolso de cinco milhões de dólares para a viabilização deste projecto. O fundo será gerido pelo Banco Nacional de Investimento (BNI), ao abrigo de um acordo de parceria público-privada rubricado ontem naquela província entre as duas instituições.

Carlos Zacarias explicou que o uso de gás natural veicular vai reduzir de forma gradual os níveis de importação de combustíveis, contribuindo, deste modo, para a poupança de divisas e minimização do impacto da subida constante dos preços de combustíveis no país.

Segundo Carlos Zacarias, o país importa neste momento cerca de 1.600.000 toneladas métricas de combustíveis líquidos, representando avultadas somas monetárias.

Sublinhou que um dos objectivos estratégicos do Governo é promover a cadeia de valor dos produtos nacionais integrados no conteúdo local, razão pela qual foi criado o Fundo para o Desenvolvimento de Gás Natural Veicular, em implementação das acções previstas no Programa Quinquenal do Executivo moçambicano.

Na ocasião, o governante lembrou que outro objectivo estratégico do Governo é a promoção da utilização do gás natural para o transporte público e sua expansão geográfica de forma a responder à dinâmica do mercado, caracterizado pelo crescimento exponencial do parque automóvel. Carlos Zacarias afirmou também que o acordo assinado ontem entre a Sasol e o BNI poderá materializar o desejo do Governo de identificação de um modelo de construção de infra-estruturas, incluindo unidades de conversão e abastecimento de viaturas.