Funcionários expulsos por mau atendimento

TRÊS funcionários foram expulsos e outros sete demitidos do Hospital Central de Nampula
(HCN), indiciados de mau atendimento e cobranças ilícitas aos utentes da maior unidade sanitária da região norte do país. Trata-se de enfermeiros, agentes de serviço e administrativos.

As expulsões e demissões destes funcionários, conforme revelou, em conferência de imprensa, o director-geral do HCN, Cachimo Mulina, resultam de denúncias, queixas e reclamações dos pacientes, órgãos de comunicação social e do gabinete de utentes instalado nesta unidade sanitária sobre mau atendimento e cobranças ilícitas.

Segundo Mulima, as denúncias avolumaram-se desde o ano passado e uma equipa foi criada para investigar as reclamações, tendo confirmado os factos.

Os primeiros locais de contacto com os utentes, nomeadamente a maternidade, bancos de sangue e de socorro, Raio-X, conforme avançou, são os que mais preocupam os gestores do HCN, pelo facto de haver muitas reclamações de mau atendimento e cobranças ilícitas. Estimulando os utentes a denunciarem sempre que testemunharem casos de mau atendimento e cobranças ilícitas, Mulima desencorajou os funcionários da unidade sanitária a praticarem actos ilícitos, que podem levar à sua expulsão após longos anos de sacrifício, desde a formação à admissão e exercício da profissão.

O responsável destacou que a saúde é um direito de todos os cidadãos, que deve ser preservado pelo pessoal da área, com a devida qualidade e humanismo.

Em toda a província da Nampula, foram expulsos no primeiro trimestre funcionários de saúde, entre enfermeiros, agentes de serviço, pessoal administrativo e seguranças, indiciados de mau atendimento e cobranças ilícitas.