Detida professora por sequestrar aluna

Detida professora por sequestrar aluna

UMA professora afeta à Escola Primária 1 de Junho, no distrito de Sussundenga, província de Manica, encontrasse sob custódia policial no Comando da PRM, indiciada de ter sequestrado sua aluna, de seis anos de idade, com o propósito de exigir resgate. A indiciada pretendia ajustar as contas como pai da menor, com quem alegadamente manteve um relacionamento extraconjugal.

O caso ocorreu na última sexta-feira. A professora reteve a aluna no final da aula para de seguida levá-la à cidade de Chimoio, no bairro 25 de Setembro, local onde estava localizado o cativeiro. Em conexão com o caso estão igualmente envolvidos e detidos um taxista e um casal de jovens que cedeu a casa para servir de cativeiro.

A indiciada confessa o crime e explica que pretendia ajustar as contas com o pai da menor, que num passado recente era seu namorado. A ideia surgiu como forma de pressionar a família a desembolsar o valor de quinhentos mil meticais pelo resgate da filha. Já o pai da vítima, diretor da Escola Primária de Mussapa, em Sussundenga, instituição onde a sequestradora trabalhou em 2018, disseque a quadrilha efetuava ligações constantes pedindo o valor para a libertação da menor.

Contou ainda que só na tarde de domingo conseguiu transferir trinta mil meticais, porque os malfeitores ameaçavam tirar a vida da filha caso não efetuasse a transferência naquele Dião porta-voz do Serviço Nacional de Investigação Criminal (SERNIC) em Manica, Paulo Candeeiro, explicou que a neutralização da raptora foi possível graças ao trabalho coordenado pelas autoridades policiais.

Pessoas entrevistadas em Sussundenga lamentaram o sequestro que envolve a professora. “Já não sei a quem podemos confiar a educação dos nossos filhos, porque até os professores já constituem um perigo para os mesmos”, disse Edson Nitrose, residente naquele distrito.

Fonte: Jornal Noticias