DONALD TRUMP Primeiro ex-presidente dos EUA no banco dos réus

DONALD TRUMP Primeiro ex-presidente dos EUA no banco dos réus

DONALD Trompa tornou-se no primeiro ex-presidente norte-americano a sentar-se perante um juiz que lhe leu um rol de 34 acusações de um processo-crime que o próprio classificou de “surreal”.

Tendo decorrido em sigilo, deste processo só era conhecida a sua ligação à atriz pornográfica Tory Daniels, que alegadamente recebeu um suborno de 130 mil dólares em troca do seu silêncio para esconder um caso extraconjugal com o magnata republicano, quando este preparava a sua primeira candidatura à Casa Branca, em 2016.Com o país em suspenso e milhares de pessoas concentradas em torno do tribunal de Manhattan, por volta das 15.00 horas (hora local, 21.00 horas em Maputo), de terça-feira, ficou a saber-se que eram 34 as acusações a pesar sobre o ex-presidente, por alegadamente ter “orquestrado” uma série de pagamentos para encobrir três casos embaraçosos antes das presidenciais de 2016, adiantou, o procurador distrital, AlvinBragg.

Bragg detalhou em comunicado que os pagamentos a troco de silêncio foram feitos a um porteiro da Trump Tower que alegou ter informações sobre um caso de paternidade extraconjugal de Trump (recebeu 30mil dólares), a uma mulher quase apresentou como ex-amante (150 mil dólares) e à atriz pornográfica Stormy Daniels. Perante as 34 acusações relacionadas com diferentes tipos de “falsificação de registos comerciais” Trump declarou-se inocente.

 A alegação de inocência por Trump foi feita durante uma breve sessão de cerca de 40 minutos no tribunal criminal de Manhattan, onde os procuradores revelaram a acusação O ex-presidente divulgara, antes de chegar ao tribunal, uma mensagem em que considera “surreal” a sua aparição perante o juiz.

“Parece tão surreal uau, vão prenderem. Não posso acreditar que isto está a acontecer na América”, disse Trump, rematando a mensagem com a sigla “MAGA” (de “Maque América Great Agiam”, “Engrandecer de Novo a América”), que usou nas suas campanhas eleitorais.

O possível julgamento contra Trump pode começar em Janeiro de 2024, de acordo com o juiz Juan Mercam. Logo após serem conhecidas as acusações, vários políticos republicanos saíram em defesa do ex-presidente, que é também candidato à corrida presidencial de 2024, dizendo tratar-se de uma “caça as bruxas”.

Fonte: Jornal Noticias