Consumo de drogas nas cadeias preocupa autoridades

Consumo de drogas preocupante nas cadeias
Fonte: Jornal Noticias

O SECTOR da Justiça está preocupado com a contínua entrada de telemóveis, circulação e consumo de drogas nos estabelecimentos penitenciários. A preocupação foi manifestada, segunda-feira, na Matola, pela Ministra da Justiça, Assuntos Constitucionais e Religiosos, Helena Kida, durante a aula inaugural do curso de atualização da guarda penitenciária em matéria de Direitos Humanos.

 A governante interagiu com agentes da guarda prisional no Estabelecimento Penitenciário Especial para Mulheres, ex-cadeia Feminina de Ndlavela, onde sublinhou que os internos têm acesso a drogas com conivência destes profissionais.

 “Quando fazem rusgas encontram bebidas, cigarros, telemóveis, e outras coisas. Alguém facilita a entrada e este é pior do que o consumidor”, disse a ministra. Os guardas, segundo governante, devem conhecer os instrumentos legais internos e internacionais no sentido de se atualizarem pois estão a lidar com pessoas especiais, devendo ainda ter noção que a droga propicia o vício.

 “Depois do vício o que acontece é que o indivíduo quer sempre mais e quando não encontra se torna violento e começa a roubar dentro para ter acesso à droga”, alertou, acrescentando que “nós temos que passar por treinamento para sabermos como é que se faz isto, como é que se conseguem alcançar determinados resultados”.

 Na ocasião, apelou aos guardas prisionais a serem mais pacientes e cumprirem o juramento, sabendo que estão a lidar com pessoas que merecem respeito e dignidade. Segundo a fonte, os reclusos devem ser tratados como seres humanos com direitos e obrigações, bem como garantias constitucionais.

 Por outro lado, disse não se justificar que uma reclusa esteja grávida enquanto cumpre a pena e isso só pode acontecer por intermédio dos guardas penitenciários.

Fonte: Jornal Noticias