AVENIDA JOSINA MACHEL: “Chapas” voltam a circular

OS operadores do tranporte semicolectivo de passageiros que utilizam a Avenida Josina Machel, na Machava, município da Matola, província de Maputo, retomaram ontem as actividades, após a paralisação, segunda-feira, em protesto contra o mau estado da via.

A retoma dos operadores, que ligam a vários destinos, dentro e fora do município da Matola, ocorre após a Administração Nacional de Estradas (ANE) ter passado uma niveladora para o tapamento de buracos, com recurso a saibro, e estar a bombear as águas que inundam o pavimento nalguns troços.

No entanto, os automobilistas apontam que esta solução é precária, devendo-se apostar numa reabilitação de raiz, ao invés do tapamento dos buracos apenas.

“Se voltar a chover toda areia será arrastada pelas águas e continuaremos a ter dificuldades de mobilidade. Por isso o melhor seria reconstruir a estrada”, disse Paulino Tembe, transportador da rota Malhampswene-Nkobe.

Camilo Sitoe, da rota Matola Gare-Patrice Lumumba, queixou-se dos danos que o mau estado da estrada causa aos veículos, o que obriga os transportadores a gastar mais na manutenção. Por sua vez, o porta-voz do Conselho Municipal da Matola, Firmino Guambe, apontou que a ANE deverá contratar, em breve, um empreiteiro para intervir na “Josina Machel”.

“A ANE mobilizou o actual empreiteiro, que está a trabalhar desde domingo de modo a garantir a transitabilidade na via. Mas onosso objectivo é tornar o piso da estrada resiliente, pois é atravessada por várias linhas de água, concorrendo para a sua rápida degradação”, disse Guambe, acrescentando que, face à situação, as autoridades estão a mobilizar recursos para a resolução definitiva do problema.

Acrescentou que para além da Avenida Josina Machel decorrem intervenções em outras vias, entre as quais Patrice Lumumba-Nkobe, Patrice Lumumba-Singatela, Intaka-Boquisso, devido aos danos causados pelas chuvas.

Também está em curso a construção da vala 1 do Bairro do Fomento, que deverá permitir o escoamento das águas pluviais a partir dos bairros situados à norte da cidade da Matola.

Guambe contou que está prevista igualmente a abertura de valas no Bairro da Liberdade.