Tudo em aberto com Egipto na mó de cima

DESASSEIS selecções estarão envolvidas na disputa do CAN que arranca no próximo domingo nos Camarões. Mas como em todas as competições existem os mais e os menos favoritos, os maiores vencedores e os que sonham levantar pela primeira vez o mais desejado troféu do continente africano, quando o assunto é futebol.

A julgar pelo histórico, Egipto, Camarões, Gana e Nigéria, Costa do Marfim e a actual detentora do título, Argélia, países que figuram na lista dos maiores vencedores partem como principais candidatos à vitória final.

EGIPTO | 1956, 1959, 1986, 1998, 2006, 2008 E 2010

É o campeão dos campeões africanos. O Egipto é heptacampeão e perdeu apenas duas finais do CAN. Uma em 1962, para a Etiópia e a segunda final foi, mais recente, em 2017, frente aos Camarões. Mohamed Zidan, uma lenda do futebol egípcio, ganhou em 2008 e 2010. Salah, a actual estrela da selecção, precisa de uma vitória pelo Egipto para marcar o seu legado.

CAMARÕES | 1984, 1988, 2000, 2002 E 2017
Os pentacampeões africanos são os anfitriões do CAN em Janeiro de 2022. Em 2017, ano da última conquista, Bassogog era uma das referências da selecção camaronesa e foi mesmo considerado o melhor jogador da competição desse ano. Os Camarões perderam ainda duas finais frente ao Egipto. A primeira em 1986 e a segunda em 2008.

GANA | 1963, 1965, 1978 E 1982
Os tetracampeões africanos são das maiores potências do futebol mundial. Apesar de ter ganho o CAN em quatro edições, o Gana é a selecção com mais finais perdidas da competição. A selecção ganesa perdeu as finais de 1968, 1970, 1992, 2010 e 2015. A última grande selecção ganesa tinha os irmãos Ayew. Antigas estrelas como Essien e Yeboah não ganharam o CAN, mas Abedi Pelé ganhou (1982).

NIGÉRIA | 1980, 1994 E 2013
A Nigéria, a nível de qualidade individual, é das selecções com mais talentos no futebol africano e mundial. Depois da época de Okocha e Amunike (década de 90), a última grande geração foi no início da década de 2010, numa selecção com Enyeama, Obi Mikel ou Victor Moses. Actualmente, tem um grande leque de avançados, com nomes como Osimhen, Musa e Chukwueze.

COSTA DO MARFIM | 1992 E 2015
Uma selecção com mais nomes que troféus. Desde a entrada no novo milénio, a Costa do Marfim produziu dos melhores jogadores africanos e do futebol mundial. Nomes como Didier Drogba, Yaya Touré, Gervinho, Kalou e muitos mais. Para além das conquistas de 1992 e 2015, a Costa do Marfim perdeu as finais de 2006 e 2012.

ARGÉLIA | 1990 E 2019
É o campeão em título e um dos favoritos à conquista do CAN 2022. Um plantel recheado de craques como Mahrez, Slimani, Brahimi, Bennacer só se pode colocar grandes expectativas. A selecção argelina perdeu apenas uma final e foi em 1980, frente à Nigéria.

RD CONGO | 1968 E 1974 Não vive os melhores momentos em relação a grande qualidade de jogadores produzidos, mas é bicampeão africano. O RD Congo ganhou o CAN em 1968 e mais tarde em 1974 (ambas sob o nome de República do Zaire ou Congo-Kinshasa). É a única selecção africana com pelo menos dois títulos do CAN, que nunca perdeu uma final.