Tete hospeda secretariado do corredor de Nacala

Tete hospeda secretariado do corredor de Nacala

A PROVÍNCIA de Tete vai acolher o Secretariado do Corredor de Nacala, no âmbito da implementação do Projeto de Comércio e Conectividade da África Austral que envolve Moçambique, Zâmbia e Malawi. A decisão foi anunciada sábado pelo Vice-ministro dos Transportes e Comunicações, Amilton Alisson, no final da reunião dos ministros do sector dos três países, em Lilongwe, capital do Malawi.

O encontro decidiu endossar os acordos ferroviários, rodoviário e institucional do Corredor de Desenvolvimento de Nacala a serem submetidos aos Chefes de Estado dos três países para a apreciação e respetiva assinatura, nos próximos três meses. Como país hospedeiro, Moçambique vai acolher, na cidade de Tete, peritos dos três países, com a missão de coordenar a implementação de diversas iniciativas de promoção da eficiência no manuseamento de carga no Corredor de Nacala, contemplando áreas como construção e reabilito

 CONECTIVIDADE DA ÁFRICA AUSTRAL Tete hospeda secretariado do Corredor de Nacala das necessidades logísticas do Malawi e Zâmbia, como ampliação e modernização do porto de Nacala, reconstrução do ramal ferroviário Mutarara Vila Nova da Fronteira, para a retoma do transporte ferroviário entre Moçambique e o Malawi.

Para além de intervenções na componente de infraestruturas, o Vice-ministro referiu-se ao trabalho em curso na simplificação de procedimentos para a redução do tempo de trânsito nos corredores moçambicanos, citando como exemplo a implementação das medidas de Aceleração Económica que permitiram a eliminação da Licença de Importação Temporário de Veículos, entre outras.

A outra medida passa pela remoção de fronteiras físicas no transporte ferroviário de carga com a África do Sul e Estatina, sendo expectativa de Moçambique expandir esta iniciativa para as fronteiras ferroviárias com o Malawi e Zimbabwe. Participaram nesta reunião, o Ministro dos Transportes e Obras Públicas do Malawi, tacão de infraestruturas de transporte, migração, alfândegas, industrialização, agricultura, resiliência e outras de interesse dos três países. No final do encontro, Hamilton Alisson disse a jornalistas, em Lilongwe, que Moçambique sai deste encontro satisfeito devido aos consensos alcançados, quer na indicação como país hospedeiro do Secretariado, quer pela adoção dos instrumentos apreciados, pois estes vão permitir a efetiva implementação do projectão iniciativa introduz, segundo a fonte, um novo paradigma de gestão do Corredor de Nacala, numa abordagem tripartida das preocupações dos agentes económicos e soluções harmonizadas e satisfatórias para os três países.

Considerando o papel logístico que Moçambique desempenha na região, a fonte partilhou, na reunião de Lilongwe, dados sobre os investimentos em curso na reabilitação, ampliação e modernização das infraestruturas de transporte para servir a economia nacional e regional. Destaque vai para o soluto Secretariado vai coordenar a promoção da eficiência no manuseamento de carga no Corredor de Nacala (Reprodução) Jacob Hera, o Vice-ministro dos Transportes e Comunicações de Moçambique Hamilton Alisson, os secretários permanentes da Zâmbia, Fred Rick Mwalusaka, e do Malawi Hastings Chiudzu, para além de peritos das áreas de logística dos três países integrantes do Projeto de Comércio e Conectividade da África Austral, financiado pelo Banco Mundial.

Fonte: Jornal Noticias