Rio Maputo pode transbordar

A BACIA do rio Maputo atingiu ontem o nível de alerta, podendo transbordar, a qualquer momento, e causar inundações nas zonas ribeirinhas e perdas de culturas diversas.

As populações residentes ao longo deste rio devem estar atentas e evitar aproximar-se das zonas baixas. Ao mesmo tempo, devem retirar os equipamentos agrícolas e as colheitas na fase de maturação, nas próximas horas.
O alerta é da Direcção Nacional de Gestão dos Recursos Hídricos (DNGRH) que aponta ainda que as bacias dos rios Incomáti e Limpopo também são preocupação porque poderão transportar volumes elevados de água, devido às chuvas que ocorrem na África do Sul e/ou noutros países à montante.

O rio Limpopo em Chókwè apresenta fortes possibilidades de causar inundações localizadas, nas zonas baixas e ribeirinhas, nas próximas 48 horas.

No Incomáti, que registou ontem um incremento de escoamento, o cenário vai se repetir nas próximas 48 horas, disse Agostinho Vilanculos, especialista DNGRH.
“O nosso apelo é que os agricultores retirem as máquinas das zonas baixas e colham as culturas já em estado de maturação”, afirmou.
A DNGRH prevê ainda, nos próximos cinco dias, nas bacias do Zambeze, sub bacias do Revúbuè, Chire e Licungo, a subida do caudal, devido à ocorrência de chuvas.
A população vivendo em zonas baixas e ribeirinhas é apelada a manter-se em zonas altas e seguras e, evitar a travessia do leito dos rios, devido ao elevado volume de escoamento.

Apela ainda à sociedade, em geral, para a observância de medidas de precaução nas bacias do Búzi, Púngoè e Zambeze.
Os automobilistas com veículos de suspensão baixa são chamados a tomarem medidas de precaução ao se fazerem às ruas nos bairros periurbanos da cidade da Beira.
O alerta é também para as autoridades municipais, pais e encarregados de educação para maior vigilância das crianças, evitando fazerem-se às valas de drenagem, poços e depressões, sob pena de serem arrastadas pela corrente das águas.

No seu boletim diário, a DNGRH indica para a ocorrência de chuva na ordem de 25,1 milímetros na bacia do Incomáti, em Magude, 22,4 em Púngoè-Fronteira, Zambeze-Zumbo (23.2 mm) e Zóbuè (38 mm); Monapo-Rapale (92 mm) e barragem de Nampula (27 mm); Meluli (Namaita 59,3 mm) e Montepuez (Mecuia 18.4mm). cidade da Beira, em Macúti (30.2 mm).