RECENSEAMENTO MILITAR Campanha lançada oficialmente em Chókwè

A CERIMÓNIA central do lançamento do recenseamento militar, que arrancou segunda-feira última em todo o território nacional, vai ter lugar esta sexta-feira na cidade de Chókwè, província de Gaza, e será orientada pelo Ministro da Defesa Nacional, Cristóvão Chume.
Este processo abrange jovens de ambos os sexos nascidos em 2004 bem como aqueles que não puderam se inscrever nos anos anteriores, desde que não tenham ultrapassado os 35 anos de idade.

O evento será replicado em todas as províncias e para que o processo decorra sem sobressaltos os centros de recrutamento já têm em funcionamento os postos onde estão afectos agentes recenseadores previamente formados.

Igualmente, foi distribuído em Dezembro último todo o material de trabalho a ser usado no processo, cujo término está previsto para 28 de Fevereiro próximo, cujas metas a alcançar por cada província já foram estabelecidas pelo sector da Defesa.
Por exemplo, a cidade de Maputo, onde as cerimónias vão ter lugar no Distrito Municipal KaNyaka, a meta é de inscrever este ano 20.970 jovens de ambos os sexos para Serviço Militar.

Segundo o chefe do Centro de Recrutamento e Mobilização da Cidade de Maputo, Virgílio Assinde, deste número previsto 12 mil são homens e 8 mil mulheres, distribuídos pelos sete distritos municipais.

Trata-se dos distritos municipais de KaMubukwana, KaMpfumu, KaMavota, KaNyaka, Nlhamankulu, KaTembe e KaNyaka, onde foram criados no global 70 postos de recenseamento militar e formados 144 agentes recenseadores.
Cientes dos cuidados a ter neste período que o país atravessa, caracterizado pela eclosão do novo coronavírus, Virgílio Assinde avançou que o sector criou todas as condições para que os agentes recenseadores e os jovens previnam-se da pandemia.

Detalhou que em cada posto foi colocado álcool para a desinfecção das mãos, baldes contendo água e sabão, para além da rigorosidade que está a ser exigida para o uso da máscara, tanto por parte dos agentes recenseadores como dos utentes.

Para garantir o cumprimento da meta estabelecida, Assinde convidou a todos os jovens a se dirigirem aos postos instalados nas suas zonas residenciais com antecedência, lembrando que este é dever de cada um e é condição para ter acesso a outros documentos, como por exemplo a carta de condução ou passaporte.

Avançou ainda que o processo vai ter lugar nos estabelecimentos escolares e outras instituições especificadas nas localidades, postos administrativos, conselhos municipais, sedes distritais e capitais provinciais, bem como nas missões diplomáticas e consulares.