Jovem condenado a 26 anos por matar e ocultar o corpo da esposa

Jovem condenado a 26 anos por matar e ocultar o corpo da esposa
Jornal Noticias

UM indivíduo de 27 anos de idade foi condenado a 26 anos de prisão maior e ao pagamento de uma multa de 300 mil meticais pela 6.ª Secção do Tribunal Judicial da Província de Sofala (TJPS), por ter assassinado a própria esposa e em seguida enterrado o corpo no quintal da sua residência.

O juiz da causa, Martino Muchiguere, disse durante a leitura da sentença que o coletivo que julgou o caso concluiu, face à prova produzida, que Tiago Alfândega, o réu em questão, devia ser condenado a esta pena. “Motivos passionais, confessados pelo réu, levaram-no a assassinar a esposa.

Depois de consumado o crime, enterrou o corpo”, referiu o juiz Martino Muchiguere. O caso ocorreu em Fevereiro O juiz da causa, Martino no bairro de Ndunda, na cidade da Beira, e a vítima, Cecília Alberto, de 22 anos de idade, acabou por morrer em consequência de golpes desferidos pelo marido, deixando dois filhos menores de idade.

Depois de consumado o crime, Alfândega ocultou o cadáver enterrando-o no quintal. Ficou também provado em juízo que as agressões aconteciam com frequência, tendo levado a finada a procurar refúgio várias vezes na casa dos progenitores. Entretanto, quando faziam as pazes, ela regressava à casa que partilhava com o agressor.

 O juiz Muchiguere diz que há, no caso, vários crimes, incluindo violência psicológica, e é preciso que a sociedade compreenda que a violência não pode ser considerada uma solução para os problemas.

 Fonte: Jornal Noticias