FACE AOS EFEITOS DAS INTEMPÉRIES: Engenheiros desafiados a encontrar soluções

OS engenheiros de Nampula são desafiados a procurar soluções para problemas causados pelas intempéries que têm assolado a província, de modo a ajudar as populações.

O repto foi lançado na cidade capital da província pelo director da Faculdade de Engenharia e Ciências Tecnológicas da Universidade Rovuma (UniRovuma), Guedes Caetano, na cerimónia de abertura do primeiro ciclo de palestras alusivas ao Dia do Engenheiro, que se assinala amanhã, 3 de Maio, sob lema “Por uma OrDEM forte, inclusiva, dinâmica e na vanguarda do desenvolvimento do país”.

O responsável afirmou que o engenheiro não pode, nem deve ficar alheio aos problemas do seu país e, em particular, da sua província, devendo produzir conhecimento e material que ajudem a dar resposta às preocupações como erosão, secas, cheias, vendavais, entre outras inquietações.

Entretanto, Guedes Caetano defendeu a necessidade de haver um investimento de vulto na área de Engenharia. Observou que o Governo tem feito o seu máximo no que diz respeito aos investimentos na área, porém deve fazer mais porque os problemas são graves e necessitam de uma intervenção urgente.

Segundo afirmou, é necessário um investimento sério nos laboratórios para que os engenheiros tenham a possibilidade de estudar e aprimorar com mais solidez os assuntos atinentes aos fenómenos naturais. Disse que a Faculdade de Engenharia da UniRovuma tem contribuído significativa na área de pesquisa, formação e em acções que promovem o bem-estar da sociedade.

Já o representante da Ordem dos Engenheiros de Moçambique, Pelton Horácio, manifestou preocupação com a qualidade das obras realizadas pelos seus colegas, razão pela qual está a trabalhar com o nível central no processo de acreditação dos engenheiros na província.

Nampula conta com 150 engenheiros formados em diversas áreas.