ENERGIA ELÉCTRICA Desmanteladas 632 ligações clandestinas

SEISCENTAS e trinta e duas ligações clandestinas de energia eléctrica foram desactivadas ao longo do ano 2021, na cidade da Beira, contra 150 neutralizadas em igual período de 2020.
A informação foi dada a conhecer ao “Notícias” pelo chefe do Departamento de Planeamento Operacional e Estatística da Electricidade de Moçambique (EDM), Gabriel Titosse, apontando que a descoberta destas ligações fraudulentas resultou das inspecções dirigidas por 40 tarefeiros.

A fiscalização decorreu com maior enfoque nos estabelecimentos comerciais, escritórios e em residências que provocaram grandes perdas financeiras àquela empresa pública que, segundo Gabriel Titosse, poderiam ser aplicadas na expansão de novas redes de energia.

Afirmou ainda que, por ano, a empresa tem acumulado prejuízos de mais de seis milhões de meticais devido a estas práticas de cidadãos que têm consciência dos estragos que causam.
Disse que, durante as inspecções, a EDM descobriu que várias instituições operavam com instalações clandestinas.
Deu exemplo de um estabelecimento comercial localizado no bairro da Manga que abastecia, de forma fraudulenta, 36 contentores de frangos.

Titosse reconheceu, no entanto, que estas acções clandestinas algumas vezes ocorrem com a ajuda de certos técnicos da empresa. Consequentemente, foram expulsos pelo menos 15 funcionários, de Janeiro a Outubro do ano passado.
Para recuperar as somas perdidas, Gabriel Titosse afirmou que a empresa tem encaminhado os casos às instâncias judiciais.

Devido à gravidade da situação, e tendo em perspectiva colmatar estes fenómenos, a EDM remeteu mais de 200 queixas às autoridades policiais e de Justiça, estando a aguardar que os infractores sejam responsabilizados criminalmente pelos seus actos.
A fonte lamentou, entretanto, que muitos cidadãos optem por recorrer a ligações clandestinas numa altura em que processo de instalações domésticas foi simplificado e é gratuito.