Doenças oculares preocupam Saúde em Mandlakazi

  • GUILHERME CHAÚQUE

O SECTOR da Saúde em Mandlakazi está preocupado com o elevado índice de doenças oculares, sobretudo o glaucoma e a catarata, esta última que tem sido uma das principais causas da cegueira neste distrito da província de Gaza.

A catarata é uma doença caracterizada pela opacidade do cristalino, lente natural do olho, o que provoca perda progressiva e indolor da visão.

De Janeiro de 2021 a Março do ano em curso, Mandlakazi registou 711 casos de catarata, revelou, adiantando que 31 pessoas foram submetidas a cirurgias para a sua remoção e outras 58 estão na fila de espera.

“A primeira causa da catarata é a idade, mas temos também os traumas causados por agressões físicas e acidentes. Existe igualmente a catarata congénita, a menos comum, a que nasce com o indivíduo”, explicou Porfílio Bambo, técnico de oftalmologia. O uso de óculos de sol, principalmente no clima quente como o nosso, pode ser uma acção preventiva, disse.

De acordo com o técnico de oftalmologia, para o glaucoma foram arrolados, no mesmo período, 110 casos. “Esta doença caracteriza-se pela tensão alta do olho e não tem cura. As suas principais causas têm sido a deformidade do olho, doenças sistémicas como a diabetes e o HIV/Sida.

Também existe o glaucoma congénito”, disse, alertando que esta é uma doença silenciosa e de difícil diagnóstico e, por isso, muitas vezes os pacientes chegam aos centros de saúde já com 25 a 50 por cento da vista afectada.