Central termoelétrica garante estabilidade

Central termoelétrica garante estabilidade

A CENTRAL Termoelétrica de Maputo (CTM) continua a desempenhar um papel importante na garantia da qualidade da corrente elétrica fornecida à região metropolitana do Grande Maputo. A garantia é do gestor das infraestruturas, Lourenço Macau, que falava no âmbito de uma visita da Agência de Cooperação Internacional do Japão (JICA) às instalações para avaliar o funcionamento deste investimento do governo nipónico.

A central injeta, diariamente, mais de 100 Megawatts de energia à rede nacional, elevando a capacidade da Eletricidade de Moçambique (EDM) fornecer um serviço com maior qualidade às necessidades desta região

.

O sector destaca a produção desta unidade como um catalisador da estabilidade e resposta à procura existente nos anos anteriores à sua entrada em funcionamento, garantindo assim a segurança energética no grande Maputo.

“Melhorou bastante a qualidade de energia. Como sabem a nossa fonte principal vem de longe e esta produção joga um papel fundamental para estabilização do sistema na região metropolitana do Maputo”, disse Macau. Neste momento, a unidade produz na sua máxima potência quase 106 MW, um contributo de 25 por cento de todo o consumo da cidade e província de Maputo, realçando a sua valência para a região. O gestor aponta a infraestrutura como fonte importante para à qualquer eventualidade continuar-se a fornecer corrente elétrica à zona nobre da capital do país, assegurando assim o funcionamento de serviços indispensáveis.

Esta é a primeira central do país do ciclo combinado de gás natural, produzido em Temane, província de Inhambane, sendo que por dia a central abastecesse de 15 mil gigas joules deste recurso. O Japão financiou com 167 milhões de dólares, na modalidade de empréstimo ao Estado moçambicano, para a concretização deste investimento que veio a revolucionar a qualidade da corrente nesta região.

A assistência técnica aos equipamentos mais sensíveis continua a ser realizada por empreiteiros deste país asiático, num contrato que se prolonga até ao próximo ano. No entanto, a EDM garante que há condições para continuar, sem constrangimentos, olhando para o nível de conhecimento dos seus técnicos.