ACIPOL passa a priorizar ingresso de agentes da PRM

O COMANDANTEGERAL da Polícia da República de Moçambique (PRM), Bernardino Rafael, anunciou que a partir deste ano a corporação vai iniciar um processo de modernização. É neste contexto que, para ingresso na Academia de Ciências Policiais (ACIPOL), a prioridade será dada a agentes da polícia.

Bernardino Rafael disse que este ano serão admitidos 100 agentes da PRM, dos 150 contemplados, e a partir de 2023 a ACIPOL servirá apenas para polícias graduados de Matalane ou os que saírem da Escola de Sargentos da Polícia.
“Ao nível superior vamos começar com a entrada na ACIPOL de um maior número de membros da PRM, com 100, e assim estaremos a cumprir uma decisão matriz presidencial que nos diz que aquela academia é policial. Então vamos, paulatinamente, deixar de receber estudantes que não sejam polícias”, disse.

Explicou que o conceito geral da ACIPOL é formar polícias, sendo que o membro da PRM, depois de jurar à bandeira em Matalane, passa a ter o direito de entrar e prosseguir com os estudos.
Ademais, existe uma escola intermédia, que é a Escola de Sargentos da Polícia, e os que saem deste estabelecimento de ensino também têm oportunidade de entrar na ACIPOL.

Portanto, na escola da Polícia quem entra tem de ser polícia, pois se for admitido um cidadão civil é obrigado depois a ir a Matalane porque na academia não se adquire este estatuto, mas sim conhecimentos superiores da PRM”, frisou. Avançou que os civis que queiram ingressar na PRM primeiro terão de ir jurar à bandeira.
Anotou que anteriormente qualquer cidadão entrava na ACIPOL, concluía as cadeiras do curso e depois ia a Matalane para jurar a bandeira e voltava à academia para concluir o curso superior, um processo muito moroso. – (AIM)