UNITA avança com providência cautelar contra processo eleitoral


A UNITA, o maior partido da oposição em Angola, entregou uma providência cautelar no Tribunal Constitucional (TC) por alegadas “irregularidades” no processo eleitoral, anunciou a força política num comunicado. Segundo a UNITA, a providência cautelar deu entrada no TC em 6 de Maio, depois de esgotadas as vias graciosas com o Ministério da Administração do Território (MAT), entidade responsável pelo processo que não admite a existência de irregularidades. Em declarações à Lusa, o porta-voz da UNITA, Marcial Dachala, disse que a via judicial visa obrigar ao cumprimento da lei, depois de falharem um entendimento entre os partidos políticos e o Governo. Em causa estão alegadas irregularidades, como a afixação da lista de eleitores, que os partidos da oposição angolana reclamam, enquanto o Governo argumenta que está a ser cumprida a lei eleitoral. Angola realiza eleições gerais em Agosto.