Segurança no trabalho junta Governo e TotalEnergies

A Secretaria de Estado da Juventude e Emprego (SEJE) e a TotalEnergies EP Mozambique Área 1, Limitada, uniram-se na quinta-feira em Pemba, na província de Cabo Delgado, para reforçar a consciencialização dos formandos do Instituto de Formação Profissional e Estudos Laborais Alberto Cassimo (IFPELAC) a respeito da importância da segurança e saúde no trabalho.

Na ocasião, os formandos beneficiaram de palestras onde foram abordados temas ligados à saúde e segurança no trabalho e tiveram a oportunidade de participar num concurso denominado “identifique o perigo”, que visava, de forma prática, identificar situações geradoras de perigo para a segurança no ambiente de trabalho.

O evento surge no âmbito do Dia Mundial da Saúde e Segurança no Trabalho que se assinalou na passada quinta-feira, dia 28 de Abril.

João Massingue, delegado do IFPELAC em Cabo Delgado, destacou que, na sua actuação, a instituição prima por matérias que versam a saúde e segurança no trabalho.

“Nesta data especial, juntamo-nos à TotalEnergies, com quem temos uma parceria activa de formação de jovens moçambicanos, nas mais diferentes áreas, para colhermos a sua experiência nestas matérias, reforçando, assim, as competências dos nossos formandos. Para o nosso próprio bem, das nossas famílias, dos nossos colegas, é imprescindível que façamos da segurança e saúde elementos intrínsecos da nossa actuação”, refere.

Para Tércio Masseque, vice-presidente para aárea da Saúde, Ambiente e Segurança da TotalEnergies EP Mozambique Área 1, Limitada, a data reflecte a relevância que o mundo atribui à segurança e saúde no trabalho.

Masseque, que foi orador na palestra intitulada “Cultura Positiva de Segurança e Saúde – Uma Questão de Sustentabilidade”, abordou as consequências de uma cultura patológica e reactiva para as organizações e o papel do formando na construção deuma cultura positiva.

Ressalvou que a saúde e segurança no trabalho devem ser incorporadas na estratégia das organizações bem como na nossa actuação, no dia-a-dia.

“A saúde e segurança no trabalho devem erguer-se como uma forma de ser e estar, e não como um conjunto de regras a serem cumpridas em ocasiões específicas”, acrescentou.

Jossefina Cristiano, uma das beneficiárias que frequenta o curso de Pedreiro, manifestou a sua satisfação pela oportunidade de aprofundar os seus conhecimentos sobre a data e ressaltou a importância de trabalhar de forma segura.

“Eu nem sabia dessa data, mas a partir de hoje já sei. Sei também que temos de trabalhar seguros, que temos de ter o EPI (Equipamento de Protecção Individual) para mantermos uma segurança melhor no trabalho. Então, estou muito feliz por saber que tenho de me proteger e proteger os outros”, disse.

Já Hamudine Chamo, que frequenta o curso de Carpintaria, reconheceu que pouco sabia sobre a origem da data, mas pôde aprender que a falta de conhecimentos sobre matérias de higiene, saúde e segurança no trabalho pode conduzir a grandes tragédias tal como aconteceu em 1969 nos Estados Unidos da América.

Refira-se que o Dia Mundial de Segurança e Saúde no Trabalho assinalado a 28 de Abril, neste ano, em Moçambique, foi celebrado sob o lema “Agir em conjunto para construir uma cultura de Segurança e Saúde Positiva”.