Manuseio de carga ferroviária cresce 30% em 2022

Lucro dos CFM cai um bilião de meticais em 2022

No sistema ferroviário moçambicano, de Janeiro a Dezembro foram transportados cerca de 24.62 milhões de toneladas líquidas, contra cerca de 29.9 milhões de toneladas planificadas, representando uma execução de 82% e um crescimento de 30% relativamente ao período homólogo. A informação consta do Relatório e Contas da empresa pública, Portos e Caminhos de Ferro de Moçambique (CFM) referente ao exercício económico findo a 31 de Dezembro de 2022.

Desagregando a quantidade de carga transportada em 2022, o informe refere que nas linhas operadas pelos CFM, durante o exercício económico de 2022, foram transportadas cerca de 12.3 milhões de toneladas líquidas, contra 15 milhões planificadas, o que corresponde a uma realização de 80% em relação ao plano e tendo crescido 17% comparativamente ao volume transportado no período homólogo de 2021.

“Em termos de transporte de passageiros, no período em análise foram transportados 5.5 milhões de passageiros, número que corresponde a um crescimento de 81% comparativamente ao ano anterior, como resultado do “desconfinamento” social e retoma plena da operação ferroviária, associado ao investimento em automotoras que foram inauguradas em Agosto de 2022, aumentando a capacidade de transporte de passageiros no sul e centro do país”, lê-se na mensagem do Conselho de Administração da empresa, que consta do relatório em alusão.

Para além da carga ferroviária, o documento que temos vindo a citar fala também do manuseio da carga portuária em todos os portos concessionados e sob gestão dos CFM. Nesta área portuária, sob ponto de vista global, a fonte refere que o manuseio de carga registou um nível de execução de 103% que corresponde a um incremento de 17% em relação à realização do período anterior, ao lograr manusear 56,45 milhões de toneladas métricas (mtm), contra 48,23 milhões registadas em 2021.

Relativamente aos terminais portuários sob gestão dos CFM, foram manuseadas durante 2022 cerca de 13,21 milhões de mtm, contra 12,51 milhões manuseadas em 2021, o que representa um crescimento na ordem de 6%, como reflexo de novos investimentos que têm sido levados a cabo pela empresa.

O Relatório e Contas dos CFM sublinha que, apesar dos resultados positivos, o ano de 2022 foi marcado por vários factores negativos como ciclones, incidentes ferroviários do tipo descarrilamentos, fraca oferta da carga ferroviária e o conflito geopolítico entre a Rússia e a Ucrânia.

Entretanto, o resultado líquido (lucro) da empresa em 2022 caiu para 2.3 mil milhões de Meticais, contra 3.3 mil milhões de Meticais registados em 2021, o que representa uma redução de um bilião de meticais.

Fonte: CartaMZ