DENTRO DE TRÊS MESES Exploração do gás abre página para industrialização

O SECTOR privado nacional considera que a chegada da plataforma flutuante de produção de gás natural do projecto Coral Sul e o início da exploração, no presente ano, abrem uma página promissora para a industrialização do país.

Segundo o presidente da Confederação das Associações Económicas de Moçambique (CTA), Agostinho Vuma, este momento proporciona oportunidades de inserção das Pequenas e Medias Empresas (PME), na cadeia de valor da indústria do Oil&Gas.
O arranque da produção do gás natural da Bacia do Rovuma, na província de Cabo Delgado, das primeiras reservas de hidrocabonetos descobertos no campo Coral Sul, dentro da Área 4, operada pela Mozambique Rovuma Venture (MRV), está previsto para o primeiro trimestre do presente ano.

Com capacidade de produzir 3.4 milhões de toneladas métricas de gás por ano, a plataforma flutuante é a primeira a ser construída de raiz para operar em África e a terceira dessa complexidade no mundo.
Por essa via, o sector privado espera que o desempenho empresarial possa recuperar progressivamente em 2022, acompanhando a trajectória de recuperação da economia moçambicana de forma geral.

Contudo, Agostinho Vuma salienta que, mesmo perspectivando uma recuperação do desempenho empresarial no presente ano, é crucial que ele aconteça numa postura mais cautelosa, devido a nova variante da Covid-19, sobre a qual prevalece a incerteza em relação ao seu impacto e aos sacrifícios que serão necessários para a sua contenção.
“Como CTA, vamos iniciar o presente ano com muito afinco. Projectamos realizar a nossa primeira edição do ano do Economic Briefing no dia 23 de Fevereiro, que terá lugar na província de Nampula”, disse.

Segundo Vuma, esta edição do Economic Briefing irá marcar o ponto de partida para exercício que a CTA pretende consolidar, de levar o debate sobre o desempenho empresarial para as diferentes regiões do país. Subsequentemente, após adiamento, a CTA projecta realizar a décima sétima Conferência Anual do Sector Privado (CASP) em Março próximo, mantendo o lema: “Reformando o Ambiente de Negócios para a Recuperação Económica”.

No encontro, a CTA irá apresentar o relatório do índice de conteúdo local e o respectivo ranking das empresas, visando de entre outros aferir estágio do conteúdo local em Moçambique e contribuir para a participação das PME nos grandes projectos.