DELEGAÇÃO MALAWIANA VISITA SECTOR DE ÁGUA E SANEAMENTO EM MOÇAMBIQUE

DELEGAÇÃO MALAWIANA VISITA SECTOR DE ÁGUA E SANEAMENTO EM MOÇAMBIQUE

Uma equipa de alto nível do Governo de Malawi e Município de Lilongwe, visita de 24 a 28 de Julho, o sector de água e saneamento de Moçambique. A delegação malawiana deverá escalar as cidades de Maputo e Beira, numa visita inserida no âmbito da troca de experiências entre os Projectos de Saneamento Urbanos dos dois países, ambos com financiamento do Banco Mundial.

Nesta terça-feira, dia 25 de Julho, a equipa liderada pelo representante do Governo de Lilongwe e o Presidente do Município de Lilongwe, acompanhados pela instituição provedora do serviço de Abastecimento de Água de Lilongwe (Lilongwe Water Board), visitou as obras de reabilitação e expansão da estação de Tratamento de Águas Residuais de Infulene, e a estação de Tratamento de Água de Corrumana.

Para além da ETAR de Infulene e ETA de Corrumana, a delegação vai visitar o Serviço Autónomo de Saneamento da Beira, uma das beneficiárias do Projecto de Saneamento Urbano. Também estão previstos encontros técnicos para partilhar a experiência do país na aplicação de políticas sectoriais nos serviços de abastecimento de água e saneamento e sua regulação.

Em Lilongwe, Projeto Água e Saneamento de Lilongwe (LWSP) financiará investimentos que incluem: reabilitação e ampliação da rede de esgoto; instalação de novas ligações de esgoto; reabilitação e modernização das estações de tratamento de esgoto existentes; o projeto também apoiará atividades de fortalecimento de capacidade para melhorar a operação e manutenção do saneamento infraestrutura, bem como as reformas necessárias para promover e fornecer segurança sustentável serviços de saneamento.

Em Moçambique, O Projecto de Saneamento Urbano, também financiado pelo Banco Mundial, tem como objectivos aumentar o acesso aos serviços de saneamento com gestão segura e inclui actividades como, construção e/ou reabilitação de Estações de tratamento de águas residuais e redes de esgotos, Construção de sanitários inclusivos públicos e familiares, promoção de hábitos seguros de saneamento, melhoria da capacidade dos municípios de prestar serviços de saneamento, revisão do quadro legal, entre outras actividades.

Fonte: DNAAS