CERCA DE 17,6 MILHÕES DE DÓLARES ESTÃO GARANTIDOS PARA PROTEGER MIOMBO

CERCA DE 17,6 MILHÕES DE DÓLARES ESTÃO GARANTIDOS PARA PROTEGER MIOMBO

Cerca de 17.6 milhões de dólares americanos já estão garantidos para financiar a iniciativa regional de gestão sustentável e integrada da floresta de Miombo. Deste valor, cerca 12,6 milhões destinam-se a Moçambique e Zimbabwe e serão desembolsados pela Global Environment Facilities (GEF) e os restantes 5 milhões provenientes dos cofres da Agência de Cooperação Italiana servirão para implementar acções de revitalização das reservas florestais, restauração, incluindo o apoio institucional na implementação do sistema de monitoramento florestal.

A informação foi revelada pela Secretária Permanente do Ministério da Terra e Ambiente, Emília Fumo, que falava esta quinta-feira, 27, em Maputo, na abertura da Primeira Reunião do Comité Técnico da Declaração de Maputo sobre a gestão sustentável e integrada do Miombo nos países da região da África Austral que partilham este tipo de floresta e a Bacia do Rio Zambeze, nomeadamente, Angola, República Democrática do Congo, República do Congo, África do Sul, Tanzania, Namíbia, Botswana, Zâmbia, Zimbabwe, Malawi e Moçambique.

A garantia para a disponibilização destes valores resulta de um exercício de mobilização de financiamentos, liderado pelo Presidente Filipe Jacinto Nyusi, na qualidade de Patrono da iniciativa de Miombo, lançada durante na Conferência Regional, que teve lugar em Agosto do ano passado em Maputo.

Na altura foi adoptada a Declaração de Maputo e os resultados alcançados desde então, incluem a indicação dos pontos focais da Declaração de Miombo, intervenção junto da SADC, com vista a obter apoio e o engajamento dos Estados Membros bem como a elaboração, em curso, de projectos nacionais para a implementação das acções estratégicas de conservação florestal.

“Os objectivos a Declaração de Maputo a que nos propusemos alcançar até o ano 2032 espelham de forma clara os desafios do futuro, no que diz respeito a necessidade de cumprir os princípios e práticas de gestão sustentável nas florestas de produção; Reforço a gestão das áreas protegidas existentes e criar; Promoção de alternativas para a diversificação das fontes de rendimento das comunidades locais; Implementação de programas para reduzir as emissões provenientes da desflorestação e degradação florestal; Integração das florestas de Miombo em planos de desenvolvimento; Promocão do ecoturismo sustentável na floresta do Miombo entre outros” destacou a Secretária Permannete.

A Reunião do Comité Técnico, com uma duração de dois dias, visa, dentre várias matérias, oficializar a estrutura de implementação da Declaração de Maputo e produzir um plano de acção conjunto, que vai orientar o trabalho e a colaboração entre os países nos próximos 2 anos.

A realização do evento conta com o finaciamento do Progreen, Banco Mundial e apoio da União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN).

Fonte: Ministerio da Terra e Ambiente