Falsificadores de moeda caem nas malhas da Polícia

A POLÍCIA da República de Moçambique (PRM), em Nampula, neutralizou ontem uma rede de falsificadores de moeda, com destaque para o metical e dólar.
A quadrilha dedicava-se ainda à fraude financeira, tráfico de drogas e falsificação de documentos, operando a partir de vários tentáculos estabelecidos na cidade de Nampula e com ramificações noutros pontos da província.
Perante a imprensa, as autoridades policiais afirmaram ter “quebrado” o dorso de uma quadrilha que já estava sob vigilância, numa investigação iniciada já há algum tempo.

Segundo o porta-voz da PRM em Nampula, Zacarias Nacute, esta “gangue” foi neutralizada a tentar introduzir moedas falsas no mercado, através dos circuitos comerciais, onde se acredita haver alguns comerciantes que lhes sirvam de suporte. Explicou ainda que os bandidos recorrem a transacções de moeda falsa nos agentes do M-Pesa, pois supõe-se que eles sejam as vítimas mais fracas a serem burladas. Na mesma operação outra rede foi identificada a tentar fazer compras em estabelecimentos comerciais nas áreas periféricas daquela urbe.

A preferência por estes pontos é, conforme Nacute, para facilitar as suas operações, uma vez que os comerciantes informais são tidos como os mais incautos. De acordo com Nacute, a detenção foi graças a denúncias de alguns proprietários de lojas que se queixaram de estar a ser vítimas destes crimes e receavam ser acusados de envolvimento no crime de falsificação de moeda. Dentre os processos, a PRM tem um caso de 22 notas de mil meticais, outro em que estiveram envolvidas 10 notas de mil meticais, assim como outro de cinco notas de mil meticais.

“Todos esses casos foram fornecidos por dois indivíduos que estão aqui sob nossa custódia e que afirmam terem entrado em contacto com algumas pessoas de nacionalidade tanzaniana que lhes teriam fornecido pouco mais de 300 mil meticais em notas falsas a fim de colocá-las em circulação no mercado”, disse Nacute.

Este é o dinheiro falso confiscado pela PRM

Aliás, nestes casos de falsificação, está sob custódia um reincidente neste tipo de crime. Trata-se de Cassimo Muhene Mutharika, conhecido nos meandros do crime por “C4 Pedro”, natural de Nacala-Porto. O mesmo terá sido encontrado, na sua residência, com maços de dinheiro falso, em notas de mil meticais.

Entretanto, a Polícia de Nampula apresentou uma outra “gangue” que se dedicava à fraude financeira e falsificação de documentos.
Segundo Nacute, os referidos indivíduos passaram por algumas lojas de telefonia móvel, onde tentaram reactivar, com recurso a documentos falsos, números que ostentavam serviços de transacções financeiras electrónicas para posteriormente adquirir os códigos e proceder ao levantamento dos valores em causa.

“Tentaram em alguns pontos da província. E chegados ao distrito de Malema, os prestadores destes serviços suspeitaram as suas movimentações e comunicaram a Polícia que, prontamente, neutralizouos”, disse.