DIGITALIZAÇÃO DE PAGAMENTOS: Rotatividade do pessoal é desafio para o CEDSIF

A ALTA rotatividade do pessoal nos órgãos e instituições do Estado, criando incapacidade de utilização dos sistemas, é um dos grandes desafios que o Centro de Desenvolvimento de Sistemas de Informação de Finanças, Instituto Público (CEDSIF, IP) enfrenta na assistência aos estabelecimentos estatais no processo de digitalização dos seus pagamentos.

A situação acaba sobrecarregando o CEDSIF nas acções de formação para a criação de capacidade do uso dos referidos sistemas. Em declarações citadas numa das publicações do Banco de Moçambique, Jacinto Muchine, administrador-executivo do CEDSIF, aponta que outro desafio com que a sua instituição se depara é a necessidade permanente de incutir maior sentido de integridade e responsabilização nos utilizadores dos sistemas face aos riscos associados à gestão de recursos financeiros por meios tecnológicos.

Muchine aponta também que a rede de comunicação de dados é muitas vezes instável, o que concorre para as intermitências na disponibilidade dos sistemas. “Os custos para a realização de pagamentos digitais por meio de carteiras de moeda electrónica também são elevados, o que pode tornar oneroso o acesso para as pessoas mais vulneráveis”, frisou o administrador do CEDSIF.

A fonte explicou ainda que no geral os desafios de qualquer projecto tecnológico são comuns e giram em torno da manutenção correctiva e evolutiva dos produtos implementados, sendo particularmente complexos no contexto do e-SISTAFE, pois este agrega vários módulos em utilização com um número crescente de utilizadoresRefira-se que, como resultado das actividades desenvolvidas pelo CEDSIF no país, cerca de 99,9 por cento dos funcionários e agentes do Estado recebem os seus salários nas suas contas bancárias por meio de transferências bancárias electrónicas.

Por outro lado, todas as pessoas singulares e colectivas com uma relação contratual com o Estado são obrigadas a ter um domicílio bancário para a recepção da contraparte da prestação de serviços ou fornecimento de bens. Do total do valor executado do Orçamento de 2021, cerca de setenta por cento foram transferidos directamente da Conta Única do Tesouro (CUT) para a conta bancária do credor do Estado a partir do e-SISTAFE por meio de transferências bancárias electrónicas.