JUSTIÇA SEGUNDO BETO E LAU KING

O Costa do Sol e a União Desportiva do Songo empataram a um golo na tarde de sábado, no jogo mais importante da sétima jornada e que marcou a retoma do Moçambola-2022, depois de 33 dias de interrupção para dar lugar aos compromissos da Selecção Nacional. 

Mesmo jogando em terreno alheio, a UD Songo chamou a si a iniciativa de jogo e foi dominante e criador de inúmeras oportunidades de golo, principalmente na primeira parte.

 Aos seis minutos, Lau King escapou pelo corredor direito e, em desequilíbrio, arrancou um cruzamento rasteiro para o interior da área. Mas também em desequilíbrio por ser pressionado pela defesa, o malawiano John Banda não conseguiu melhor que um remate sem a intensidade e colocação desejada, com a bola a parar nas mãos do guarda-redes Victor.

 Foi o primeiro remate com clara intenção de golo num jogo que estava a ser uma verdadeira parada e resposta e a corresponder às expectativas, mau grado o pouco tempo até aí jogado. Aos 10 minutos a UD Songo voltou à carga, agora com o médio Dário a receber pela ala esquerda ante a defesa descompensada do Costa do Sol, mas não teve destreza suficiente e o seu remate saiu frouxo e ao lado do alvo. 

O jogo estava a ser bem disputado, muito por mérito de uma linha média laboriosa dos dois conjuntos, com destaque para as acções de John Banda (UDS) e Cremildo (Costa do Sol), verdadeiros cérebros das suas equipas. Não obstante, eram os visitantes os que mais criavam situações de golo.

 Foi outra vez assim, aos 12 minutos, quando Infren bateu Jorge pela direita e, já dentro da área, cruzou para Lau King que viu o seu toque subtil a parar nas mãos de Victor. 

A primeira parte já ia para lá da metade e o jogo continuava bem jogado quando, aos 26 minutos, Banda alimentou um contra-ataque após tirar a bola de Cremildo (estatelado no relvado e a reclamar uma hipotética falta) e fez um passe a cortar a defesa do Costa do Sol. Na sequência, houve uma falha no corte e a bola ficou à mercê de Dayo que, encostado ligeiramente à esquerda e livre de marcação, rematou escandalosamente ao lado. Foi a mais soberana oportunidade de golo na primeira parte para os “hidroeléctricos” que, de seguida, abrandaram o ritmo e a frequência de ataques. 

O Costa do Sol respirou e, aos 32 minutos, conseguiu, finalmente, fazer o seu primeiro remate para a baliza de Ernan. No lance, Bento tabelou em posição frontal com Beto que, acossado pela defesa, atirou por cima do travessão.

QUEM NÃO MARCA SOFRE

 Na primeira parte, a UD Songo teve quatro oportunidades para marcar, mas não concretizou nenhuma. E porque é do futebol a máxima segundo a qual “quem não marca arrisca-se a sofrer”, aos 50 minutos, os hidroeléctricos sofreram mesmo. 

O até então apagado Telinho pegou a bola no grande círculo e lateralizou para a direita, solicitando a entrada de Widson que, por sua vez, cruzou tenso e à meia altura para o segundo poste da baliza de Ernan. Vindo de trás para frente, lançado feito foguete, Beto cabeceou violento para o poste esquerdo (contrário à sua posição) e inaugurou o marcador. 

A festa tomou conta dos jogadores, banco técnico e adeptos do Costa do Sol, a maioria em campo, mas o sérvio que treina a equipa da província de Tete, Serdan Zivojnov, reagiu de imediato. Aos 54 minutos e de uma única vez, Nelson e Foken entraram para os lugares de Jimmy e Dayo, respectivamente. Apenas dois minutos depois de ter entrado em campo, Nelson arrancou um cruzamento alto com conta, peso e medida para a zona de grande penalidade onde Lau King saltou para o terceiro andar para fazer o golpe de cabeça.

 A atravessar um grande momento de forma, Lau King festejou à CR7 e o momento do salto virado teve coro nas bancadas no momento do seu pouso glorioso.

 A igualdade estava reposta, mas ainda haviam mais 34 minutos por jogar e forçar a vitória. Só que o empate prevaleceu até ao apito final de Celso Alvação, autor de uma arbitragem de bom nível técnico e disciplinar.

HOMEM DO JOGO: Lau continua King

“O avançado da UD Songo foi, quanto a nós, o homem do jogo. Não só por ter marcado o golo de empate da sua equipa, mas por ter demonstrado, ao longo do jogo e particularmente na primeira parte, que está bem consigo mesmo. Confiante nas decisões que toma, Lau King envolveu-se em acções quer ofensivas, assim como defensivas e, não raras vezes, demonstrou habilidades técnicas de passe.” 

Ponto útil

 – TIAGO MACHAISSE, TREINADOR-ADJUNTO DO COSTA DO SOL 

“Foi um jogo equilibrado, principalmente na primeira parte e do ponto de vista táctico, com as duas equipas a encaixarem-se uma da outra. No final da primeira parte conseguimos ganhar superioridade ao nosso adversário, sobretudo em termos de criação de oportunidades de golo. Marcámos no início da segunda, quando fomos dominantes, mas numa desatenção sofremos o golo de empate. No geral, o ponto será-nos útil nas contas do campeonato.”