Eid al-Fitr celebrado com apelos à paz

A COMUNIDADE Islâmica de Moçambique celebrou ontem o Eid al-Fitr, que marca o fim do mês do Ramadão, com apelos para a restauração da paz efectiva no país e da união entre os moçambicanos.

A ocasião serviu para rogar a Allah (Deus) para o fim dos ataques terroristas na região norte da província de Cabo Delgado e a construção de um Moçambique cada vez mais próspero.

Para o Sheik Said Habibe, da Comunidade Islâmica de Moçambique, o período de jejum foi ainda uma ocasião para os muçulmanos pedirem a Allah que lhes proporcione um país tranquilo e livre de crimes, entre os quais os sequestros.

Afirmou que nos 30 dias de jejum, os cidadãos que professam a religião muçulmana desenvolvem o sentido de auto-vigilância, controlo e disciplina, virtudes que, de certa maneira, vão contribuir para construção de famílias estáveis e uma sociedade sã.

Em Nampula, o Sheik Abdulatif Mussagy, do Conselho Islâmico de Moçambique, afirmou que os muçulmanos repudiam e condenam, com veemência, os actos protagonizados pelos terroristas em Cabo Delgado, causando a perda de vidas humanas, destruição de bens públicos e privados, e forçando a população a abandonar as suas zonas de origem em busca de locais seguros. Acrescentou que o islamismo não se associa ao terrorismo, mas sim pauta pela boa convivência, fé e benevolência.

Sobre convivência, o delegado do Conselho Islâmico da província de Cabo Delgado, Nze Assuate, refere que é notória pelo bom relacionamento entre os crentes muçulmanos, cristãos e de outras congregações envolvidos no apoio aos deslocados.